Passeios em Praga, City Tour para brasileiros em portugues


PASSEIOS EM PRAGA, CITY TOURS PARA BRASILEROS EM PORTUGUES

Com grande prazer apresentamos-lhe um novo site da agencia TOUR PRAGENSES que organiza PASSEIOS EM PORTUGUES na cidade de PRAGA. Programa especial para brasileros.

Informações e reservas:  info@tour-pragenses.com www.tour-pragenses.com www.guiadepraga.cz/pt/

Visita panorâmica de Praga
Durante este passeio, você vai adquirir uma imagem geral sobre a cidade de Praga, considerada uma das mais belas capitais da Europa. Vai apreciar o tesouro histórico e arquitetónico da cidade de cem torres. Conhecerá o Castelo de Praga com a magnífica Catedral de São Vito, Cidade Pequena, com seus palácios barrocos e a famosa Igreja da Nossa Senhora da Vitória com o milagroso Menino Jesus de Praga. A caminhada irá continuar ao longo da Ponte Carlos a Cidade Velha, onde, na sua Praça Velha, fica o badalado relógio astronômico.

Visita ao Castelo de Praga

Visita dos pátios e interiores do Castelo de Praga, o maior complexo deste tipo na Europa, que desde sempre foi a residência dos reis, imperadores e na atualidade é a sede do presidente da República. A visita inclui a entrada a Catedral São Vito com seus tesouros artísticos, o mais elogiado e importante templo da cidade. Percorrerá as salas representativas do Antigo Palácio Real, entre elas, a magnífica sala de Vladislau que em sua época era o maior espaço profano da Europa Central. Visitará a Basílica São Jorge do ano 920 e continuará descobrindo o local mais pitoresco do Castelo: A Ruazinha de Ouro com minuciosas casinhas antigas onde viviam os guardas do Castelo, artesãos medievais, ourives e alquimistas no século XVI, Franz Kafka e hoje as ocupam lojas de música e artesanato tradicional.

 

Visita do Bairro Judeu de Praga

Durante este passeio você conhecerá a história e a magia do pitoresco bairro judeu de Praga. Nossa visita começará na Sinagoga Maisel, continuará com a visita do memorial das vítimas do holocausto instalado na Sinagoga Pinkas, passaremos no Velho Cemitério Judeu, onde descansa o famoso rabino Löw, o conhecido Maharal, criador do lendário gigante de barro: o Golem. Durante o nosso passeio entraremos na mais antiga sinagoga europeia que ainda mantém o culto religioso: a Sinagoga Velha Nova. Passaremos pela Casa da Irmandade Funerária Hebrâica e pelas sinagogas Klaus e Espanhola. Na atualidade as sinagogas abrigam uma única coleção de objetos e artigos religiosos e de uso diário representando a vida tradicional e religiosa do povo judeu. E finalmente conhecerá a casa natal do judeu praguense mais conhecido: o escritor Franz Kafka.

Passeio de barco pelo rio Vltava com jantar incluído

Este passeio pelo rio Vltava (Moldava) permitir-lhe-á desfrutar das belezas de Praga de um outro ângulo: não andando, senão desde o barco. Assim, desde essa perspetiva original, poderá apreciar a magnificência do panorama do Castelo de Praga, do Templo de São Nicolau, da Ponte Carlos, de várias ilhas, pontes e outros monumentos. Navegaremos ao sul onde se abrirá a vista para o Teatro Nacional, para a famosa arquitetura contemporânea praguense da Casa Dançante dos Frank O. Gehry e Vlado Milunic, para o Convento Emauzy bombardeado durante a Segunda Guerra Mundial e enfim para o segundo castelo de Praga: o Castelo Vyšehrad. Passeio de duração de duas horas inclui almoço ou jantar na forma de bufê livre, as bebidas não estão incluídas.

Visita de Bairro do Castelo e Bairro Pequeno de Praga

A visita dos interiores dos monumentos barrocos situados nos bairros de Hradčany e Malá Strana.
Começaremos no Mosteiro de Strahov onde se encontra o arquivo e a biblioteca impressionante com a Sala Teológica e a Sala Filosófica profusamente decoradas. Aqui está guardada uma coleção de preciosos manuscritos e de quase 260 000 de livros antigos. Depois desceremos para a Cidade do Castelo (Hradčany) passando pelo Santuário Loreto, uma cópia da Santa Casa, a cabana onde em Nazaré vivia a Virgem Maria. O passeio continuará pelo Bairro Pequeno (Malá Strana), onde visitaremos a igreja barroca de São Nicolau onde tocava o órgão o famoso compositor Wofgang Amadeus Mozart e onde teve lugar a estréia sua composição Requiem. A seguir entraremos na mágica igreja da Nossa Senhora da Vitória que abriga a estátua original do Menino Jesus de Praga como também a imagem da Nossa Senhora Aparecida, uma doação brasileira ao povo tcheco. Nossa city tour terminará junto ao magnífico Palácio Wallenstein, a atual sede do Senado da República, no verão descansaremos no seu lindíssimo jardim barroco.

Jantar folclórico U FLEKŮ

Se gostar de música e de dança, esta é a melhor opção: num ambiente familiar passará os momentos inesquecíveis com as apresentações de música de bandinha típica, canções populares e danças do folclore tcheco. Para o jantar são servidos pratos típicos da culinária tcheca e cerveja preta fabricada em U FLEKŮ.

..

Teatro negro TA FANTASTICA

O teatro negro como um fenômeno surgiu em Praga durante a época do comunismo quando os tchecos não tinham direito a expressão livre de suas opiniões e ideias. O protesto dos artistas foi a criação duma nova forma dramática onde a fantasía vence a realidade: o teatro negro. Num palco totalmente escuro (igualmente como o ambiente da época do regime totalitário) desenvolve-se um espectáculo mudo (símbolo da falta de liberdade de expressão e, ao mesmo tempo, uma luta contra a censura) combinado com a pantomima, iluminação com projecções, tecidos fluorescentes, dança e música. O resultado é um espetáculo único e imperdível e uma auténtica manifestação da cultura tcheca.

Noite medieval na cidade de Praga

Espetáculo em uma taberna medieval do século XII, num dos  mais antigos palácios do centro de Praga garante uma experiência sem igual. O jantar é servido, como no passado, por garçons vestidos com trajes de época,  ao som de canções e ritmos de danças antigas,com apresentações de malabaristas e esgrimistas. Jantar ALL YOU CAN EAT inclui duas bebidas. Excelente comida num ambiente charmoso e muito especial. O restaurante está localizado a poucos passos da Praca Velha.

TOUR PRAGENSES, PRAGENSES, s.r.o., Lipnická 688, Praha 9 Kyje 198 00, ICO 28.445.961, DIC CZ2844596
| Marcado com , , , , , , , | 1 Comentário

Bedrich Smetana, compositor Tcheco


Bedrich Smetana, compositor Tcheco (Republica Tcheca)
(1824-1884)

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

Bedrich Smetana nasceu em Litomysl (Rep. Tcheca), a 2 de março de 1824. Admirador de  Liszt e Berlioz, estudou piano com Josef Proksch, abrindo sua própria escola em Praga em 1848.

Mas sua vida foi uma seqüência de desgraças, começando com o fracasso da revolução de 1848 que abateu o nacionalista tcheco. Liszt, sempre disposto a ajudar novos talentos, arranjou-lhe em 1856 um cargo no estrangeiro, como regente de Göteborg (Suécia). Em 1859 voltou para a sua terra, mas teve de lutar contra as dificuldades familiares e financeiras e contra as intrigas de rivais.

Só em 1866 foi nomeado diretor de música do Teatro Nacional Tcheco, em Praga. Pouco depois começou a tornar-se surdo e em 1874 teve de demitir-se do cargo. A doença dos ouvidos transformou-se em doença mental e Smetana morreu num manicômio em Praga, a 12 de maio de 1884.

A primeira obra notável de Smetana foi o sombrio Trio para piano em sol menor (1855), escrito depois da morte de seu filhinho. Só em 1866 deu o compositor a medida de seu talento, com a ópera A noiva vendida. É o ponto de partida da música nacional tcheca. Smetana não usou melodias do rico folclore tcheco, mas conseguiu criar melodias no mesmo estilo, que se transformaram depois em canções populares. O libreto parece de opereta, mas a técnica musical da ópera é magistral, às vezes mozartiana.

Não tiveram o mesmo sucesso outras óperas cômicas nem as duas grandes óperas da história nacional, Dalibor (1868) e Libussa (1881). Mas Smetana teve sorte com a música de programa, à maneira de Liszt, para orquestra: o ciclo sinfônico Minha Pátria (1874-1879) é a obra-prima da música nacional tcheca, e a segunda parte do ciclo, O Moldava, conquistou as salas de concerto do mundo inteiro.

Depois, Smetana fez a tentativa inédita de escrever música de programa para quarteto de cordas: o belo Quarteto para cordas em mi menor – Da minha vida (1876), é o primeiro quarteto autobiográfico. E a úco. E a última obra do compositor, o Quarteto em ré menor, é experimento audacioso de notar o mundo caótico do sons da mente de um surdo.

A fama de Smetana ficou, durante a sua vida, limitada à Boêmia. Em 1892, o elenco de Praga representou A noiva vendida em Viena, com sucesso tão grande que a ópera pertence hoje ao repertório internacional. A crítica musical tcheca considera porém, Smetana como o mais nacional dos compositores nacionais.

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

| Marcado com , , , , | 2 Comentários

Antonín Dvorák, compositor Tcheco


Antonín Dvorák,
(1841-1904)

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

Antonin Leopold Dvorak nasceu em Nelahozeves (Rep. Tcheca), a 8 de setembro de 1841. Filho de um humilde comerciante, aos oito anos de idade Dvorak teve despertada sua vocação musical. Mas só pôde realizar os primeiros estudos em 1853, já residindo na cidade de Zlonice. Quatro anos depois instalou-se em Praga, onde iniciou uma vida de sacrifícios, aliviados quando foi premiado pela composição de um hino patriótico (1873).

Depois de uma fase influenciada por Wagner e Liszt, tornou-se adepto do movimento nacionalista tcheco iniciada por Smetana. O impulso decisivo para a sua carreira ocorreu em 1877 quando, sob recomendação de Brahms, os Duetos morávios foram editados na Alemanha. Desde então, os programas de concerto no estrangeiro passaram a colocar em destaque o nome de Dvorak.

Na Inglaterra, houve uma acolhida sobremodo entusiástica (iniciada com a apresentação das Danças eslavas), a ponto de quase se tornar a segunda pátria do compositor. Várias vezes Dvorak esteve em Londres e outras cidades britânicas, regendo as próprias obras, entre estas a Sinfonia em ré maior e o oratório Santa Ludmilla. Em 1891, a universidade de Cambridge lhe conferiu o título de doutor honoris causa.

Por essa época, já era numerosa a produção de Dvorak. Tinha abordado todos os gêneros, revelando-se especialista em música de câmara. O Trio para piano Op. 90 – Dumky (1891), foi logo incorporado ao repertório de todos os conjuntos camerísticos. A posição estética do compositor também já estava definida, como a de seu conterrâneo Smetana, igualmente abeberado nas fontes folclóricas.

Popularidade, fama, honrarias, tornaram-se comuns na vida de Dvorak. Em Praga, recebeu também o título de doutor honoris causa da universidade. Foi nomeado professor e mais tarde diretor do conservatório. Chegou a ser nomeado membro da câmara dos pares do império austríaco.

Sua fama atravessou o Atlântico. Dvorak foi dirigir o conservatório de Nova Iorque. Nos Estados Unidos, foi atraído pela melodia dos índios e dos negros. Três anos na América resultaram para Dvorak na fase mais conhecida de sua atividade criadora. A ela pertencem obras como a célebre Sinfonia n.ş 9 em mi menor – Do Novo Mundo (1893); o Quarteto em fá maior Op. 96, arbitrariamente apelidado de Americano (1893); o Concerto para violoncelo em si menor Op. 104 – obra-prima no gênero; e uma coletânea de peças para piano intitulada Humoresques, das quais a sétima chegou a ser a música quase mais tocada em todo o mundo.

Quando retornou a Praga, a fidelidade às origens continuou inalterada. Dvorak dedicou-se à composições de peças sinfônicas e óperas. E nestas últimas, principalmente, os elementos musicais e dramáticos são de pura inspiração folclórica tcheca. A glória em vida acompanhou-o até a morte. Dvorak morreu em Praga, a 1.ş de maio de 1904 e foi sepultado como herói nacional.

 

Dvorak apareceu como um improvisador, bem menos atento às regras de estruturação formal. Embora Smetana, sempre obediente às normas tradicionais, fosse seguidor de Liszt e Wagner – ao passo que Dvorak é discípulo de Brahms, Schumann e, sobretudo, de Schubert – Dvorak é bem mais, rapsódico. Daí, por certo, a popularidade que alcançou no mundo inteiro.

Da fase americana de Dvorak também resultou um equívoco, hoje esclarecido: dizia respeito ao aproveitamento do folclore dos Estados unidos, em detrimento das fontes eslavas; mas pesquisas musicológicas, levadas a efeito em Harvard, concluíram por confirmar o original caráter eslavo da Sinfonia n.ş 9 e do Quarteto Americano.

Óperas – Vanda (1875), Rusalka (1900), Armida (1902-1903)

Concertos – Concerto para violino em lá menor (1880), Concerto para violoncelo em si menor Op. 104 (1895)

Trios – Trio para piano em si bemol maior Op. 21 (1875), Trio para cordas em fá menor Op. 65 (1883), Trio para piano em mi menor Op. 90 – Dumky (1891)

Quartetos – Quarteto para cordas em lá menor Op. 16 (1874), Quarteto para piano em mi bemol maior Op. 87 (1889), Quarteto para cordas em fá maior Op. 96 – Americano (1893)

Quintetos – Quinteto para piano em lá menor Op. 81 (1887), Quinteto para cordas em si bemol maior Op. 97 (1893)

Sinfonias – Sinfonia n.ş 8 em sol maior Op. 88, Sinfonia n.ş 9 em mi menor Op. 95 – Do Novo Mundo (1893)

Compôs ainda um oratório (Santa Ludmilla), um Stabat Mater (1877), um Requiem (1890), um Te Deum (1892), peças para piano, para violino, canções, etc.

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

Publicado em Viagem a Praga | Deixe um comentário

Praga, a cidade mágica !!!!


Cidade Velha, Praga

Centro histórico de Praga

Praga: monumental e inesquecível

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz

O que faz de Praga uma das cidades mais charmosas do planeta não é somente a beleza de seu centro medieval, preservado com admirável capricho e declarado Patrimônio da Humanidade.

Casa Municipal, Praga

A Casa Municipal em Praga é o belo edifício construído em estilo de Arte-Nova do início do século XX, com uma sala de concertos monumental denominada Sala Smetana, onde realizam-se os mais importantes concertos em Praga, e uma galeria da arte plástica espaçosa.

Cada esquina ganha um significado especial quando se lembra que a cidade foi mantida fora do alcance de turistas ocidentais por 40 anos de comunismo.

O mesmo acontece com suas pontes e ruelas estreitas, que parecem ficar ainda mais fascinantes quando se lembra que elas foram tomadas por tanques de guerra durante a Primavera de Praga, final da década de 60.

Nos bairros de Mala Strana e Staré Mesto, fachadas em tons pastéis também encantam. Há ainda as tradicionais e centenárias cervejarias, sempre lotadas de belas mulheres.

Tamanha capacidade de enfeitiçar as pessoas talvez explique o fato de Praga ter abrigado e inspirado tantos talentos superiores.

O compositor Amadeus Mozart e o cientista Albert Einstein, o astrônomo Johannes Kepler e o cineasta Milos Forman, os escritores Franz Kafka e Milan Kundera, a tenista Martina Navrátilová e o fotógrafo Josef Sudek. Todos eles viveram e trabalharam na cidade.

É por isso que os tchecos, especialmente os da capital, se orgulham tanto da própria cultura, ou melhor, do nível de erudição que eles conquistaram ao longo dos séculos. Mas eles lamentam muito também o período mais recente em que estiveram sob os rigores de um sistema socialista.

A resposta para décadas de repressão não poderia ser mais contundente: hoje, artistas de rua transformam o passeio público em picadeiro com a voracidade de quem defende a própria manutenção da democracia.

Em Praga, numa esquina encontra-se uma banda de rock. Em outra, surge um quarteto de violinos.

Ao longo da Ponte Carlos, fotógrafos, pintores e escultores vendem suas obras. Na Praça da Cidade Velha acontecem espetáculos de marionetes. Todo tipo de manifestação artística encontra na calçada o espaço que não existiu entre os anos de 1948 e 1989, período em que a ex-Tchecoslováquia integrava a Cortina de Ferro.

A agenda cultural é uma das mais agitadas da Europa, especialmente durante a primavera e o verão.

Concertos de música clássica são freqüentes na Igreja de São Nicolau, na Basílica de São Jorge e na Catedral de São Vito.

Quem prefere um pouco mais de swing encontra jazz de excelente qualidade em pelo menos uma dezena de casas noturnas no centro histórico.
Mas o programa imperdível de verdade é assistir a uma peça do Black Light Theater, espetáculo em que figuras coloridas, quando iluminadas por luz negra, brilham feito néon sobre um fundo infinito. As produções são modestas, encenadas em pequenos teatros de Staré Mesto e Mala Strana. Mas o efeito sobre os espectadores é digno de uma apresentação do Cirque du Soleil.

Arte nas ruas, arte nas paredes e nas construções históricas também.

Praga é um verdadeiro catálogo de estilos arquitetônicos. Entre as várias obras-primas barrocas, destacam-se a fachada rococó do Palácio Kinský e a Igreja de São Nicolau, ambas na Praça da Cidade Velha.

Não muito longe dali, a Catedral de São Vito, em estilo gótico, é uma das mais deslumbrantes da Europa – enquanto o Palácio de Verão, no bairro de Hradany, é um genuíno representante da arquitetura renascentista.

O mais curioso, no entanto, é a abundância de fachadas cubistas, produto de um vigoroso movimento modernista que não se intimidou diante dos 1.100 anos de história da cidade. Pode-se apreciá-las em inúmeros endereços espalhados pelos bairros de Staré Mesto e Vysehrad.

Se de um lado Praga é o cenário de sonho, de outro se prestaria muito bem a um soturno filme de terror.
No antigo gueto judeu, entre as ruas Kaprova, Dlouhá e Kozí, fica a mais antiga sinagoga da Europa em atividade, concluída por volta do ano de 1270. Não há turista que deixe de visitá-la. Mas o que realmente impressiona é o cemitério, bem ao lado do templo. Quem põe os pés pela primeira vez nesse lugar sente nos ombros o peso dos sete séculos de opressão impostos à comunidade judaica de Praga.

Os checos não se caracterizam por uma vida religiosa regrada – 80% da população se declara sem religião – mas há templos em Praga – conhecida como a cidade das cem torres – que valem uma visita, seja pela arquitetura, seja pela história.

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

| Marcado com , , , | 2 Comentários

Lazer e Cultura em Praga


Lazer e Cultura em Praga

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

Praga é conhecida como uma cidade cultural que todos os dias oferece os mais variados eventos culturais: concertos de música clássica (magníficas salas de concertos no Rudolfinum ou na Casa Municipal, nas igrejas, sinagogas e outras salas históricas), ópera, concertos de jazz, musicais, ballet, dança, teatro clássico, teatro moderno e experimental incluindo obras do famoso Teatro Negro. Além da programação regular, há varios excelentes festivais de música (Festival Internacional de Primevera de Praga, Festival Internacional de Outono de Praga, Festival de Jazz e outros). Proporcionamos à nossos clientes um serviço gratuito duma selecção dos melhores eventos da agenda cultural de Praga incluindo a reservação do evento cultural desejado. Advertimos que na alta temporada as reservações devem ser realizadas com três semanas de antecipação.

Teatro Negro de Praga

É de costume, estando uma vez em Praga, ver uma representação do famoso Teatro Negro. O Teatro Negro surgiu em Praga durante a época do comunismo quando os Tchecos nã o tinham direito a expressar suas opiniões e ideias livremente. A protesta dos artistas foi a criação duma nova forma dramática onde a fantasía vence a realidade: o teatro negro. Num palco totalmente oscuro (igualmente como o ambiente da época do régime totalitario) desenvolve-se um espectáculo mudo (símbolo da falta da libertade de expressão e, ao mesmo tempo, uma luta contra a censura) combinado com a pantomima, iluminação com projecções, dança e música. O resultado é um espectáculo único e imperdível e uma auténtica manifestação da cultura tcheca. Recomendamos um dos teatros mais renomeados: a Ta Fantastika na rua Karlova, Praga 1 e a Laterna Magika na rua Nacional.

Jazz de Praga

O fenómeno nasceu na época do comunismo quando era prohibido escutar a música dos países capitalistas, ou seja, do occidente incluindo esse gênero de música norteamericana sempre relacionada com o triumfo da liberdade. “Cada Tcheco é músico”. Um dito popular que confirma o facto de que os Tchecos formaram varias bandas de swing e jazz main stream que na época eram muito populares e sempre tenham figurado na lista dos melhores músicos de jazz no Mundo. Na actualidade organizam-se, nos clubes de Praga, concertos de jazz moderno, de main stream o de latino.

Cultura e folclore

A oferta de teatros (incluindo palcos teatrais na natureza – por exemplo em Cesky Krumov),  festivais e concertos de música (Prazske jaro – Primavera de Praga),  festivais de cinema (Karlovy Vary, Uherske Hradiste),  peças de teatros e cinemas é tão rica de que possibilita uma escolha para cada um. Para conhecer tradições locais e regionais é possível recomendar a visita de algum de muitos festivais folclóricos. Aqui os visitantes têm possibilidade de penetrar nos segredos de canções e danças tradicionais,  mas também nos segredos e especificidades de cozinhas locais – especialidades gastronómicas. Da mesma maneira oferecem-se viagens para conhecer as cervejas tchecas, degustações de vinhos dos produtores de vinho moravos e tchecos ou aguardentes e licores tradicionais: Becherovka de Karlovy Vary, aguardente da região de Valáquia ou aguardente de sorva de Vysocina.

Festival Internacional Primavera de Praga

De 12 de maio a 04 de junho de 2010
O Festival Internacional Primavera de Praga é um dos acontecimentos mais importantes da cidade. Com duração aproximada de um mês, oferece espetáculos de música sinfônica e de ópera, assim como de música de câmara, recebendo músicos do mundo inteiro.

A tradição do festival começou em 1946, pouco tempo depois do final da Segunda Guerra Mundial, coincidindo com o 50º aniversário da Filarmônica Tcheca. Esse evento acolhe artistas em diversos recintos distribuídos por toda a cidade, como o Teatro Nacional, a Igreja de Nossa Senhora de Týn ou o Cemitério Vysehrad. A cerimônia de abertura se realiza tradicionalmente no Salão Smetana da Câmara Municipal de Praga.
Juntamente com o festival, ocorre a Competição Internacional de Música da Primavera de Praga, destinado aos jovens intérpretes.

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

| Marcado com , , , , | 1 Comentário

Dicas – Transporte em Budapeste


Transporte em Budapeste

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

Na capital húngara o transporte público (metro, ônibus, bonde ou trólebus) funciona muito bem. Tem que comprar o ticket individual ou passe de vários dias antecipadamente (nas bilheterias do metro, nas tabacarias, nas vendas de jornais ou nas bilheterias automáticas. Em caso de bilhetes pré-comprados, deve validar o mesmo antes de entrar no metro, bonde, ônibus e trólebus logo depois da entrada. No metro, um ticket é válido para viajar por uma linha. É possível comprar bilhetes mais baratos que são válidos só para 3 estações. Guarde o bilhete até a saída, porque estes podem ser exigidos a qualquer instante pelos controladores. Os controladores são pessoas que trabalham em nome da empresa de transportes para checar e controlar a validade dos bilhetes, normalmente estão fardados, mas também quando não estiverem, se eles quiserem, é sempre obrigatório apresentar o ticket validado ou o passe. Em caso de não tiver título de viagem tem que pagar uma multa bastante alta.

Você pode contar com as seguintes possibilidades de transporte em Budapeste

O Metropolitano

Encontramos três linhas (a quarta está em construção)

  • A Linha Millenium (Amarela)
  • A Linha M2 (Vermelha)
  • A Linha M3 (Azul)

Todas as linhas se encontram na parada principal, a Deák Ferenc tér. É nesta parada onde Você pode fazer a baldeação entre as linhas. O bilhete custa 300 HUF (Forints Húngaros), se for comprados um por um, 280 HUF, se comprar em bloco de dez. A linha vermelha é a única que atravessa o rio Danúbio (por baixo! – fato que era uma sensação na altura da sua construção nos anos 70, ir ao outro lado do Danúbio, baixo do Rio com “pés secos”, foi mesmo uma aventura com turistas, durante o City Tour) e serve do lado de Buda, as outras duas linhas só servem ao lado de Peste.

Trem

No bonde tradicional, são os amarelinhos, que representam o melhor meio de deslocar-se em Budapeste. Existem diversas linhas em Peste, Óbuda e Buda. Geralmente circulam nas principais avenidas da cidade, e também pelas margens do Rio Danúbio. Existe uma linha “Sightseeing” na margem do Rio, é o número 2, passa ao pé de monumentos mais bonitos de Peste, onde se desfrutar de uma das vistas mais espetaculares de Buda.  Tem que comprar o bilhete antecipadamente e valida-lo no vagão do trem, que vale para uma viagem por todo o trajeto de percurso da linha respectiva.

Ônibus

Budapeste tem um sistema muito extenso de ônibus. Circulam também por toda a cidade, os ônibus geralmente são da cor azul. Existem diversas linhas que geralmente partem das principais praças da cidade, e quase tudo pode ser alcançado por ônibus.

As linhas com o número e letra “E” são os mais rápidos, que correm no mesmo roteiro, mas há menos paradas.

Há partes da cidade, por exemplo, as Colinas de Buda, que só podem ser alcançadas pelo ônibus de linha.

Existem também as linhas noturnas, que rodam até madrugada inteira nas principais ruas e avenidas. (Para pessoas de baladas noturnas, estes ônibus significam a salvação para voltar ao hotel). É prático informar-se do horário desses na recepção do hotel. Durante a noite você pode comprar os bilhetes a partir do condutor, mas neste caso você tem que pagar um pouco mais. Quando pretender sair do ônibus, você tem que pressionar um botão a cima da porta para marcar a próxima parada. As paradas estão afixadas no interior do ônibus, mas se você não sinalizar a parada, o veículo não irá parar, e você vai perder a parada desejada.

A melhor solução, em caso de dúvidas, é pedir informações para as pessoas que estão viajando no ônibus, elas serão cordiais a lhe indicar a sua parada desejada..

Trem Suburbano (HÉV)

HÉV - Harry NLOs trens suburbanos são muito práticos, na regra levam aos locais mais longínquos da capital, e cruzam também as suas fronteiras. Em Budapeste há quatro linhas de HÉV, estes são de vagões da cor verde. Os destinos mais importantes para turistas são as cidades de Szentendre (Santo Andrés) e do castelo da Sissi, a Gödöllő.

Preço: dentro das fronteiras de Budapeste usa-se o ticket pré-comprado de metro. Fora dos limites tem que comprar o ticket especial nas caixas do HÉV, o preço varia da distancia do seu destino final.

Budapeste oferece também outros meios de transporte. Vale a pena de experimentar uns destes meios aqui por baixo.

Fogaskerekű - David Nagy

(Fogaskerekű)

Originalmente   construído em 1874 – é comum de transportes públicos regularmente utilizados pelos habitantes locais, mas também uma atração turística em movimento que pode levá-lo do Hotel Budapeste no Bairro Városmajor para a colina Széchenyi hegy – uma distancia de 3,6 km percorrida em 30 minutos. Bilhetes de BKV, incluindo os passes turísticos são validos aqui.

Desde a última parada desta viagem de bonde em Szechenyi-hegy, vamos proceder à Gyermekvasút Railway (ferrovia infantil), para experimentar um ambiente onde a maioria das pessoas que ocupam e fazem funcionar os trens são crianças com idade entre 10 a 14.

Sikló

O Funicular (Sikló)

É um funicular histórico, mesmo romântico, foi construído no ano de 1870 para facilitar a subida mais barata dos funcionários do governo, trabalhando em cima, no palácio Sándor, na sede do governo. Hoje em dia neste palácio está fixada a sede de residência do presidente da republica e o Funicular é mais que nada utilizado pelos turistas.

Libegő

O Teleférico (Libegő)

Outra peculiaridade de Budapeste é o teleférico (Libegő) que funciona na zona do monte János. Usado mais para excursões de fim de semana ou como elevador para a prática de esqui durante o inverno. Ultimamente há várias possibilidades para esquiar nas colinas de Buda, e por isso o Libegő vem ganhando cada vez mais importância.

Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

Publicado em Viagem e turismo Europa Leste | 2 Comentários

Dicas viagem a Praga


    Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
    Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

    • Capital: Praga  (1 200 000 habitantes)
    • Extensão de Praga: 497 km2
    • Informações Turísticas: www.guiadepraga.cz/br/ o site em português
    • Língua oficial: Checo
    • Moeda: Coroa checa 1€ – 25 CZK
    • Horário: GMT + 1, GMT + 2 (De Abril a Setembro)
    • Clima: Continental, temperatura média anual é 10°C, no verão 20°C, no inverno – 5°C

    • Feriados nacionais:
      • 1° de Janeiro : Dia de Ano Novo
      • Festa móvel : Segunda-feira de Páscoa
      • 1° de Maio : Dia do Trabalhador
      • 8 de Maio : Dia da Libertação do Fascismo
      • 5 de Julho : Recordação dos Missionários Eslavos S. Cirilo e S. Metódio
      • 6 de Julho : Dia da Morte de João Huss
      • 28 de Setembro : Dia de S. Venceslau
      • 28 de Outubro : Dia da República (Fundação da Checoslováquia)
      • 17 de Novembro : Dia da Luta dos Estudantes pela Liberdade e a Democracia
      • 24,25 e 26 de Dezembro : Natal
    • Telefones: O código para fazer uma chamada desde estrangeiro à República Checa: +420, a Praga +420-2. Para chamar da República Checa ao estrangeiro é preciso discar 00 + código do país aonde quer chamar
    • Voltagem: 220 voltios
    • Produtos típicos e suvenires: Cristal de Boémia, cerâmica, jóias com granada checa, vinhos de Morávia, cerveja, obreias, licor Becherovka
    • Distâncias entre Praga e algumas cidades europeias:
      Praga – Viena : 300 km
      Praga – Budapeste : 540 km
      Praga – Berlim : 390 km
      Praga – Dresden : 150 km
      Praga – Nuremberga: 295 km
      Praga – Salzburgo : 390 km
      Praga – Cracóvia 550 km
      Praga – Munique : 385 km
    • Limites de velocidade: Nas cidades : 50 km/h, nas estradas : 90km/h, nas rodovias : 130 km/h
    • O nível de álcool permissível na sangue: 0,00 %
    • Transporte público em Praga: FONTE:  http://www.guiadepraga.cz/pt/DICAS-DE-VIAGEM-A-PRAGA/

    O METRO PRAGUENSE– uma maneira rápida para viajar em Praga- é limpo e efectivo. Os bilhetes você pode comprar na cualquer estação do metro, no hotel, ect. Também é posivel comprar o bilhete antes e depois no principio da sua viaje marcar nas máquinas respectivas, onde marca-se a data e o tempo.
    OS BONDES PRAGUENSES
    – são um pouco mais lentos pero eso é uma maneira muito bonita de viajar-você pode ver muito mais. Em todas as paradas do eléctrico estão indicadas as lineas com o horario.
    O Bonde 22 é quase tudo que você precisa saber sobre bondes em Praga, porque ele percorre virtualmente todos os pontos por onde você vai passar. A linha começa lá no subúrbio sudeste de Praga e vem cortando a cidade na diagonal, com direito a paradas em quase todo centro histórico.
    Que bilhete vou precisar?
    Bilhete de 26 coroas tchecas, válido por 75 minutos
    Onde posso comprar o bilhete? Na máquina automática na estação do metro
    Onde posso validar o bilhete? Na outra máquina amarela (dentro de bonde e ônibus, antes de descer ao metro)
    Porque ningém outro valida o bilhete? Os tchecos compram o bilhete via sms, por celular Cuidado, sem bilhete válido pagará a multa de 50€.

    Onde pegar o taxi? Cuanto custa? Existe o preço oficial?

    Seriço de taxi é o tema muito discutido cá na República Tcheca. Não existe o preço oficial.
    Recomendamos pegar o
    taxi da cor AMARELA de AAA número 14014,
    custa 28 CZK por km.
    (Nunca o taxi da cor prata AAA – cobram 5 vezes mais !!!!!!! Ladrões oficiais!)

    Postos de câmbio em Praga
    Na República Checa e Praga, o dinheiro pode ser cambiado em muitos lugares, mas nunca o faça na rua!
    Os bancos cobram a taxa de 2 % da quantia cambiada. Alguns dos bancos cobram uma taxa mínima de CZK 50 (1,70 eur). A taxa mínima é solicitada se o valor de 2 por cento da quantia for inferior aquela taxa mínima. Em caso dos postos de câmbio privados recomendámos sempre pedir o valor exacto que o cambiador vai entregar em troca da sua moeda: a informação de 0% comission muitas vezes nao indica a taxa de compra de valores – mas sim da venda! O dinheiro pode ser cambiado em hotéis, no balcão de recepção.Praga – recomendamos cambiar na praça Náměstí Franze Kafky – EXCHANGE !!!!! O elhor posto de câmbio de Praga.

    Onde é perigozo cambiar dinheiro? Na rua.  Nos postos de câmbio WESTERN UNION e CHECK POINT espalhados por centro.
    Porgue? Os postos de cambio WESTERN UNION e CHECK POINT cambiam 1 € por 17 – 19 coroas. O valor oficial é 1€ por 25€.

    Reportagem publicada na www.guiadepraga.cz/br/
    Texto e fotos: www.guiadepraga.cz/br/

    Publicado em Viagem a Praga, Viagem e turismo Europa Leste | Marcado com , , , | 14 Comentários